Subscribe:

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Diabetes - Causas - Sintomas e Tratamento

Diabetes mellitus é uma doença metabólica caracterizada por um aumento anormal do açúcar ou glicose no sangue. A glicose é a principal fonte de energia do organismo porém, quando em excesso, pode trazer várias complicações à saúde como por exemplo o excesso de sono no estágio inicial, problemas de cansaço e problemas físicos-táticos em efetuar as tarefas desejadas. Quando não tratada adequadamente, podem ocorrer complicações como Ataque cardíaco, derrame cerebral, insuficiência renal, problemas na visão, amputação do pé e lesões de difícil cicatrização, dentre outras complicações. Dependendo da causa, o diabetes pode ser classificado como: Diabetes mellitus tipo 1 e Diabetes mellitus tipo 2.
Diabetes mellitus tipo 1
Quando uma pessoa é diagnosticada com diabetes tipo 1, provavelmente terá que conviver com a doença por toda a vida, por isso é muito importante aprender a viver da melhor forma possível. O diabetes tipo 1 ocorre geralmente em crianças e adultos com menos de 30 anos, mas também pode ser diagnosticada em pessoas com mais do que 30 anos de idade.
Nesse caso, o organismo não produz insulina, por isso há a necessidade de repor este hormônio para que o organismo restabeleça os níveis normais de açúcar no sangue.
A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que desempenha um papel importante no organismo. Sem a produção de insulina, o organismo não é capaz de utilizar a glicose dos alimentos. Isso faz com que o nível de açúcar no sangue suba após as refeições.

O que provoca o diabetes Tipo 1?
O diabetes tipo 1 se desenvolve quando o sistema imunológico destrói as células do pâncreas que produzem insulina. O sistema imunológico é o nosso sistema de defesa natural contra substâncias estranhas, tais como vírus e bactérias.
Quando o pâncreas trabalha normalmente, ele produz dois hormônios importantes para o controle do açúcar no sangue, a insulina e o glucagon. Estes hormônios mantêm os níveis adequados de açúcar no sangue durante o dia e à noite. Após as refeições, o nível de açúcar aumenta, a insulina é liberada no sangue para eliminar o excesso de açúcar que você ingeriu e transportá-lo, fornecendo energia para todas as células do corpo.

Sintomas da diabetes tipo 1
Os sintomas da diabetes tipo 1 incluem:
- Muita sede;
- Boca seca apesar da ingestão de água;
- Muita fome;
- Cansaço frequente;
- Emagrecimento sem causa aparente;
- Urina frequente;
- Candidiase vaginal;
- Fraqueza;
- Confusão mental;
- Visão turva ou embaçada;
- Enjôo;
- Tontura.
Tratamento da diabetes tipo 1
O tratamento da diabetes tipo 1 deve ser feito com a toma de insulina diariamente, de 2 a 3 vezes por dia, ou através do uso de uma bomba infusora de insulina que vai liberando o medicamento na corrente sanguínea aos poucos durante o dia. O objetivo do tratamento é controlar os níveis de açúcar no sangue evitando os picos de hipoglicemia ou hiperglicemia e por isso é importante também seguir uma dieta para diabetes e praticar exercícios regularmente.

Diabetes mellitus tipo 2
Pode ser causado pela perda progressiva de função da célula beta e da capacidade  reduzida do organismo de utilizar a insulina, conhecida como resistência à insulina.

Esse tipo de diabetes ocorre quando a insulina produzida pelas células do pâncreas não é suficiente ou não age adequadamente. O pâncreas passa a produzir pouca insulina para as necessidades do organismo, tornando os sintomas perceptíveis.
 As causas do diabetes tipo 2 podem ser diferentes de uma pessoa para outra.
Os principais fatores de risco para o desenvolvimento são:
- Histórico familiar de diabetes tipo 2;
- Idade acima de 45 anos;
- Evidência de tolerância à glicose comprometida;
- Falta de atividade física;
- Sobrepeso.

Mulheres que desenvolvem diabetes durante a gestação são mais propensas à doença posteriormente em idade mais avançada.

O que provoca o diabetes Tipo 2?
O diabetes tipo 2 representa 90% de todos os casos registrados da doença. O organismo do portador de diabetes tipo 2 pode produzir alguma quantidade de insulina, mas ela não consegue agir adequadamente para transformar a glicose em energia.

Quando o pâncreas trabalha normalmente, ele produz dois hormônios, a insulina e o glucagon, tais hormônios mantém os níveis adequados de açúcar no sangue durante o dia e a noite. Após as refeições, o nível de açúcar aumenta, a insulina é liberada no sangue para eliminar o excesso de açúcar que você ingeriu e fazer o transporte, fornecendo energia para todas as células do corpo.
Sintomas
Os sintomas do diabetes tipo 2 são semelhantes aos do tipo 1. A diferença é que, geralmente, eles se desenvolvem mais lentamente e podem passar despercebidos por meses ou anos. Check-ups regulares são importantes para a detecção precoce da doença e prevenção das complicações. Os sintomas mais comuns do diabetes tipo 2 são: 
- Sede excessiva
- Vontade frequente de urinar
- Aumento da fome
- Súbita visão turva
- Fadiga 
- Feridas que não cicatrizam
- Açúcar na urina
- Sensação de formigamento e alfinetadas nos pés
- Pele seca
- Frequentes infecções vaginais e da bexiga
Portadores de diabetes podem apresentar muita sede, urina em excesso e perda de peso sem explicação. Como as condições descritas acima podem estar presentes em outros tipos de doença, é fundamental que você procure seu médico para que os diagnósticos clínico e laboratorial (por meio de exames de sangue) sejam feitos de forma adequada.

Em alguns casos, no entanto, a doença pode ser assintomática e retardar o diagnóstico e o tratamento. Para o médico determinar que o paciente tem diabetes é necessário realizar uma avaliação do paciente com base no histórico familiar e de vida, além de um exame físico e testes específicos, como um exame de dosagem da glicose no sangue.
Tratamento do diabetes tipo 2
O tratamento para diabetes tipo 2 pode ser feito com a toma de remédios, como a metformina, sulfonilureias, glinidas, tiazolidinedionas, inibidores da alfa-glicosidase, incretinomiméticos ou amilinomiméticos que ajudam a controlar a produção e a secreção de insulina pelo pâncreas.

Geralmente inicia-se o tratamento utilizando somente 1 destes medicamentos, e depois o médico avalia a necessidade da combinação de outros, mas é comum que na 3ª idade, o indivíduo tenha que tomar mais de 2 medicamentos para controlar a diabetes tipo 2.

Seguir uma dieta adequada e praticar exercícios também é importante para o controle da diabetes tipo 2.

Para prevenir a doença é importante optar por hábitos alimentares saudáveis e evitar o sedentarismo.

Não deixe de ler também:

1 comentários:

Adonice bueno bertero disse...

muito interessante e importante o artigo, bom saber.... !!!

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...